Arquétipos Guerreiros: Ares e Ártemis

O Protetor e o Gladiador, a Amazona e a Górgona

Ilustração de Ares e Ártemis. Ares, sem camisa, segura uma lança com raios e usa um elmo romano, enquanto Ártemis, vestida, puxa a corda do arco com uma flecha com raios. Ela também usa elmo.
Ilustração de Ares e Ártemis. Via Superinteressante.

Ares — O Protetor e O Gladiador

Sobre a colina observando o campo de batalha, todos os deuses aguardam o fim da peleja, exceto Ares. Em sua armadura, ele anseia juntar-se à luta. Ele luta para satisfazer seu desejo por sangue mais do que vencer por uma causa nobre. Tudo que é físico lhe dá prazer, e sua paixão tira o fôlego de todos ao redor. É conhecido como o protetor da comunidade, da família, mas na verdade ele não precisa de motivo algum para entrar numa ou começar uma briga.

O Protetor

O Protetor é um homem que vive para corpo em vez da cabeça. Sente tudo intensamente, protege quem ama com tanto vigor como se ele mesmo estivesse sendo atacado.

Vive pisando em ovos, acredita que todo mundo quer atacá-lo. É uma bomba esperando para explodir. Ainda assim, pode ser bastante leal e protetor, fazendo as mulheres se sentirem especiais ou protegidas. Sua natureza sensual o torna um bom amante.

Ele não pensa muito em construir uma carreira. O futuro não importa muito. A vida é cheia de riscos e aventuras, que bom que é assim.

Pintura de Marte com o Cupido, de Guercino, 1649.
Marte com o Cupido, de Guercino, 1649.

Com o que o Protetor se importa?

Seu corpo físico, e isso não quer dizer apenas músculos, mas tudo que gera sensações físicas, como dança, luta, risadas.

Ganhar, não importa se for em algo que ele nunca experimentou, ele vai tentar ganhar a qualquer custo.

Família e amigos. Um ataque a eles é um ataque pessoal ao Protetor. Isso pode fazê-lo até um ótimo ativista.

Viajar e mulheres espontâneas.

O que o Protetor teme?

Ele não tem medo do que os outros podem fazer, mas do que ele pode fazer, ou mais especificamente, não fazer. Tem medo de ser fraco, perder as habilidades, ser incapaz de lutar e proteger, ficar paralisado de medo.

Odiaria trabalhar num emprego sem risco, sem adrenalina, tedioso.

E odeia usar a cabeça.

Guts, em Berserk.
Guts, em Berserk.

O que motiva o Protetor?

Sobreviver. Matar ou ser morto é seu lema pessoal.

Como os outros veem o Protetor?

Intenso e apaixonado, mas também cabeça dura e de pavio curto. Ele parece não se importar com o que os outros pensam dele. Só quer se divertir, e se divertir…

Intimidador. Deve haver algo sombrio que ele esconde pra gostar de tanta briga.

Prático, até mesmo nas roupas. Ele precisa estar livre para se mover, se defender e atacar, até mesmo na apresentação de teatro da filha.

Como desenvolver o Arco do Protetor?

Coloque-o para enfrentar seus medos. Se tem medo de ficar paralisado, crie uma situação que o paralise. Se tem medo de perder quem ama, tire quem ele ama de perto. Se tem medo da fraqueza, tire suas habilidades.

Geralmente, o arco do Protetor o ensina a ter autocontrole, a relaxar antes de reagir, a usar as palavras em vez dos punhos. Mas o que o fez ficar assim? Teve um pai violento? Sua mãe o estimulava nos esportes? Teve um irmão mais novo e indefeso que precisava ser protegido? Não foi capaz de ajudar alguém em necessidade?

Foto de Thor.
Thor, herói da Marvel

Para crescer, o Protetor precisa estar acompanhado dos seguintes arquétipos:

O Rei: para ensiná-lo a ter autocontrole e disciplina.

O Adolescente Problemático: para ensiná-lo que nem todo mundo quer ou precisa ser salvo.

A Queridinha do Papai: para ensiná-lo a força da lógica e a refletir bem antes de atacar.

A Mãe Supercontroladora: sua falta de controle pode ensiná-lo às consequências de não dominar as emoções.

O Lado Sombrio do Protetor: O Gladiador

Diferente do Protetor que luta por uma boa causa, por proteger quem ama, o Gladiador luta apenas pelo prazer da batalha e pelo derramamento de sangue. Sua necessidade por adrenalina põe seus amigos em perigo. A vida é só um jogo para ele. Ele pode ultrapassar o limite de velocidade só para vencer a “corrida” com o motorista ao lado, sem se importar com as crianças no banco de trás.

É impulsivo e tende a bancar a vítima. São os desafios que o mantém vivo. Ele não se importa em morrer lutando, afinal, é assim que os verdadeiros heróis morrem mesmo. A velhice é um inferno.

Se sente incompreendido, abandonado. Expressa apenas raiva. Preenche o vazio interior com adrenalina.

Kratos de God of War
Kratos, dos games God of War.

Exemplos de Protetores/Gladiadores segundo Victoria Schmidt

Rocky Balboa (Rocky)

Maverick (Top Gun)

Han Solo (Star Wars)

Corleone (O Poderoso Chefão)

Superman

Zorro

Thor

Incrível Hulk

Romeu (Romeu e Julieta)

Ártemis — A Amazona e A Górgona

Sob o brilho da lua, através de árvores compridas, caminha a deusa Ártemis. Carrega consigo um arco e flechas de prata. Ela procura em meio à noite qualquer moça inocente ou algum oponente com quem possa melhorar suas habilidades de arqueira. Ela é a mestra caçadora dos deuses, das deusas, e dos animais selvagens. Enquanto caminha sob a lua em seu bosque, é capaz de escutar os sons das jovens, dos humanos e dos animais que precisam da sua ajuda durante um parto ou de sua proteção contra o estupro. Sem muita paciência, ela pune qualquer um que a ofenda. É a deusa que escolheu viver sem parceiro, autossuficiente. Quando tem um alvo, o persegue até o fim com seu olhar aguçado de arqueira.

A Amazona

A Amazona é uma feminista, se importa mais com as causas femininas do que com sua própria segurança. Não importa o risco, ela vai proteger qualquer mulher ou criança em aflito. Mesmo tendo poucas amizades femininas devido a seu comportamento andrógino, ela considera essas amizades as mais importantes. Suas atitudes masculinas podem deixá-la confusa sobre onde se encaixar.

É uma mulher selvagem que adora estar na natureza. Viver na cidade é uma tortura. Não tem medo de caminhar sozinha na floresta numa noite sem lua, na verdade ela ama isso. Intuitiva, gosta de viajar e de lugares exóticos, e por isso preservar a natureza e respeitar sua espiritualidade é uma das suas causas.

Na imagem: Diana (Artemis), a Caçadora, por Orazio Gentileschi.
Diana (Artemis), a Caçadora, por Orazio Gentileschi.

Com o que a Amazona se importa?

Com as mulheres, a natureza e a Terra. Luta contra o patriarcado. Para ela, todos devem ser livres, independentes, e iguais. A natureza não deve ser dominada pelo governo. Adora esportes e vencer é sempre a sua meta.

O que a Amazona teme?

Perder a liberdade e a independência. Ela subestima qualquer pessoa que não tenha essas qualidades, embora sempre os ajude. Seu lado competitivo a faz ter medo da derrota, principalmente se quem a derrotar for um homem.

Tem medo de ficar vulnerável, de se tornar uma vítima. Preferirá morrer a ser violada. Não teme a própria morte, mas teme não ser capaz de livrar os inocentes da morte. É uma resgatadora.

Tem medo que as mulheres a considerem masculina demais e tem dificuldade de encontrar amizades femininas que são realmente “amazonas” como ela.

Xena, a Princesa Guerreira.

O que motiva a Amazona?

Sobrevivência. Estar sozinha na selva e procurar comida é um de seus prazeres, afinal, ela preza a independência. Precisa ser desafiada para não cair no tédio. Sente-se como uma irmã mais velha que sempre irá proteger a irmãzinha mais nova, uma mártir para as causas feministas e ambientais.

Como os outros veem a Amazona?

Não se importa com as roupas. Só quer aquilo que a deixa livre para correr e lutar. Seu corpo atlético pode intimidar tantos homens quanto mulheres. Alguns a consideram fria, egoísta, pois ela foca demais nas próprias metas, mas quando a veem na natureza, ela parece uma criança se divertindo.

Como desenvolver o Arco da Amazona?

Entrelace sua meta com seus medos. Ela precisará aprender a viver na cidade? A criar uma criança? Aceitar que não conseguirá salvar todo mundo?

Geralmente, a Amazona aprende que não precisa de uma grande círculo de amizades e a confiar nos homens, pois nem todos são maus como ela acredita.

Pense no que a fez ser assim. Não conheceu a mãe, nem teve irmãs, sendo cuidada apenas pelo pai? Ou sua mãe era uma Amazona que ela admirava? Alguém que ela amava se feriu e ela não foi capaz de proteger? Ela quer ser a Mulher Maravilha?

Diana Prince, a Mulher Maravilha.
Diana Prince, a Mulher Maravilha, da DC Comics.

Para crescer, a Amazona precisa de:

Protetor: a ensina a confiar nos outros e que eles podem protegê-la.

O Tolo e a Donzela: ensina sobre diversão, aventura, e levar a vida menos à sério.

A Nutriz: pode ensinar o valor de dar à luz e ser mãe.

O Lado Sombrio da Amazona: A Górgona

Como vilã, ela fará de tudo para proteger as mulheres, mesmo que isso signifique matar um homem inocente. Sua fúria algumas vezes pode estar direcionada para a pessoa errada. Expressa ódio e loucura à flor da pele.

Ela é a Medusa, uma mulher de ódio e amargura, especialmente se tiver sido violada ou um trauma reprimido. Sua força vem do ódio, e muitos homens viram pedra diante de seu poder. Ela luta até a morte como uma leoa protegendo os filhotes. Democracia, diplomacia, tudo isso é baboseira. Ela só quer se vingar, e se sua causa for justa, os deuses irão perdoar sua brutalidade.

É antissocial e se recusa a seguir as normas sociais. Presencia eventos horríveis sem desviar os olhos. Para ela sua causa é justa, porque seus direitos mais básicos foram violados. Quer que as mulheres aprendam a se proteger a todo custo, recorrendo à agressividade. Se acha a dona do próprio destino e por isso prefere se matar a ser morta.

Medusa, por Alice Pike Barney.
Medusa, por Alice Pike Barney.

Exemplos de Amazonas/Górgonas segundo Victoria Schmidt

Buffy, a Caça-Vampiros

Xena (Xena, A Princesa Guerreira)

Rose (Titanic)

Mulher Maravilha (DC Comics)

Rainha Boudicca

Lucy (O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupas).

Fonte para o texto: 45 Master Characters, de Victoria Lynn Schmidt.

Gostou do texto? Deixe seus aplausos, eles vão até 50.

Se puder contribuir financeiramente com o blog para que eu continue escrevendo, me dê uma gorjeta (tips)!

Você também pode adquirir meus contos ecofantásticos através deste link.

Acompanhe-me também no TELEGRAM e INSTAGRAM!

--

--

Brazilian pharmacist in loved with History, Fantasy and Ecofiction. Author of The Blood of the Goddess. I write about nature in poems and fantasy stories.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Paulo Moreira

Paulo Moreira

110 Followers

Brazilian pharmacist in loved with History, Fantasy and Ecofiction. Author of The Blood of the Goddess. I write about nature in poems and fantasy stories.